Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana do Recife

A Região Metropolitana do Recife

Ocupando uma posição geográfica estratégica, a Região Metropolitana do Recife é o núcleo central de uma economia que representa 35% do PIB nordestino concentrado num arco de 300 quilômetros em torno da capital pernambucana, articulando um grande mercado consumidor regional.

Num raio mais amplo, de 800 quilômetros a partir da capital pernambucana (equidistante entre Salvador e Fortaleza), articula-se cerca de 90% da economia nordestina em um espaço que aglomera seis capitais regionais, quatro aeroportos internacionais, quatro portos internacionais, um porto fluvial, e um mercado consumidor de 20 milhões de pessoas.

É composta por 15 municípios, Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Goiana, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Recife e São Lourenço da Mata.

Possui uma economia diversificada, concentrando os setores industrial e terciário pernambucanos. Exerce um papel de destaque na economia do estado e do Nordeste, representando o centro estratégico de irradiação de parcela produtiva mais importante desta região. Sucesso decorrente das atividades geradas principalmente no Complexo Portuário Industrial de Suape, situado nos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, e no Polo Automotivo, situado no município de Goiana na Mata Norte do Estado.

A economia da RMR também encontra-se fortemente alicerçada numa enorme gama de serviços, com destaque para o Polo Médico, consolidado e dinâmico, e o Polo Acadêmico-Educacional, com destaque para os cursos nas áreas mais requisitadas pelos segmentos modernos.

Igualmente, destacam-se a concentração de capital humano altamente capacitado; a diversidade do turismo de negócios, eventos, cultural, lazer, e ecológico; os serviços tecnológicos, de comunicação, consultorias, marketing, design e jurídicos; além dos produtos avançados em tecnologia da informação. Também possuem grande importância a base logística de comércio varejista e atacadista, a diversidade da estrutura industrial e a atual expansão da construção civil, entre outros.

Essas características, capacidades e vocações fazem com que este território tenha importância estratégica e potencial para alavancar a competitividade estadual na região Nordeste e no Brasil.

A RMR em números

População estimada (em 2018): 4.054.866 (42,7% da população pernambucana)

Área da Região: 3.207,54 km2 (3,3% área de PE)

Densidade Demográfica: 1.264,17 habitantes/km2

PIB 2016: R$ 105.365,31 milhões (63,0% do PIB pernambucano)

PIB per capita 2016: R$ 26.214,21

Desafios

Com grandes potencialidades, que decorrem da sua base econômica e logística, dos recursos humanos disponíveis e da criatividade e diversidade culturais, a RMR padece, contudo, de graves e intensos problemas comuns a todas as metrópoles brasileiras: pobreza e desigualdades sociais, concentração populacional em assentamentos precários, degradação dos recursos naturais e do ambiente construído.  Esta flagrante contradição entre suas possibilidades econômicas, sociais e culturais e suas mazelas e dificuldades sociais e ambientais, expressam o grande desafio futuro da RMR num país e num mundo em rápidas e fortes mudanças.

Esse cenário exige um esforço de cooperação interfederativa, envolvendo todas as esferas de governo, o setor produtivo e a sociedade civil, para o planejamento, a gestão e a execução das funções públicas de interesse comum, principalmente para os municípios com forte relação de integração e dependência funcional.